Alegria, descontração e muita dança na abertura das aulas para a melhor idade, em Barreiras

Postado em Editado em

Na entrada já é possível sentir o clima leve e descontraído instalado no auditório da Unidade de Serviços da Fasb, durante a aula inaugural do curso de dança de salão da Universidade Aberta da Melhor Idade (Uami). Sorrisos fartos e gratuitos são distribuídos sem receio, entre os cerca de 50 inscritos no programa. Paira também certa ansiedade por parte de alguns, que, na lista de espera, não escondem a expectativa por uma desistência, entre os matriculados.

A atenção recai sobre acadêmica de Educação Física da Fasb, Kauany Pris, que assume a abertura ao lado da colega Vania Alves e da coordenadora de pesquisa e extensão da faculdade, Emília Pignata. Ela faz uma narrativa sobre os benefícios que a dança de salão traz para os praticantes, cita os principais ritmos e dá as regras para as aulas, que se estendem até novembro, sempre às quartas-feiras, das 16h às 17h30m no Clube ABCD.

Na plateia, novos alunos, mas também alguns já frequentadores de outras edições, como Margarida Rohloff, de 63 anos. Ela revela que vivia um momento difícil da vida, após a perda do companheiro quando o neto, que estuda na Fasb, falou sobre o curso de dança de salão. “Minha vida melhorou demais, eu estava deprimida, só ficava dentro de casa, quando surgiu a oportunidade, agarrei. Agora, estou aqui de novo, cheia de vida e de vontade de dançar”, conta, aos risos.

E não demorou muito para que dona Margarida e os demais inscritos, todos, na faixa etária a partir de 50 anos, entrassem no ritmo da dança de salão. Sob o comando das duas acadêmicas e professoras do curso, fizeram bonito, repetindo as coreografias passadas. Em uma aula inaugural, sem ensaio prévio, a turma da melhor idade caprichou, sem perder o ritmo.

Sobre o curso de dança de salão – No ano passado, o curso de dança de salão graduou 13 pessoas que prepararam uma coreografia de especial para o encerramento. Desde 2001 a Uami/Fasb oferece cursos especiais às pessoas a partir dos 50 anos de idade como forma de promover a atualização de conhecimentos e a socialização. Pautada na proposta pedagógica da Fasb, sobretudo no fundamento da parcial gratuidade da pessoa, a Universidade Aberta promove ainda o envolvimento entre os inscritos, docentes e acadêmicos da instituição. Os matriculados não pagam nenhum valor para participar do projeto, do começo ao fim.

Ascom/FASB

Comentários no Facebook